#Desafio1LivroPorMês: Ninféias Negras

#Desafio1LivroPorMês: Ninféias Negras

#Desafio1LivroPorMês: Ninféias Negras

Tô super atrasada na produção das resenhas dos livros que tenho lido!

Além de Ninféias, preciso escrever sobre outros seis títulos que terminei nos últimos três meses.

Farei isso em breve!

Por hora, vamos de “Ninféias Negras”, meu livro 9/12 do desafio e título da décima oitava edição do #ClubeDoLivroDoMarinão.

A primeira coisa que preciso dizer é que Ninféias é o segundo livro do Michel Bussi que leio e ADORO!

O primeiro foi “O Voo da Libélua” (post aqui).

Em “Ninféias Negras”, o autor não só criou uma história policial super instigante como fez uma bela homenagem a Monet e Giverny.

Claude Monet é um dos maiores nomes do Impressionismo e imortalizou Giverny em seus quadros, com seu jardim, a ponte japonesa e as ninféias no laguinho.

Tive o privilégio de visitar o local anos atrás, então a leitura foi uma delícia, pois pude relembrar uma das viagens que mais aproveitei na minha vida.

Sinopse:

Na pequena Giverny, um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista.

Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente em que cada personagem é um enigma à parte – principalmente as protagonistas.

Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério:

Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora.

A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor.

E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

#Desafio1LivroPorMês: Ninféias Negras

Minhas impressões:

Fui fisgada já nas primeiras páginas do livro e me mantive investida no mistério que rondava as três mulheres da história até o final, quando me surpeendi com um belíssimo plot twist.

AMO livros de suspense, adoro bolar hipóteses e, com certa frequência, consigo desvendar o mistério antes que a resposta me seja revelada ao final do livro.

Esse não foi o caso com Ninféias, pois nenhuma das minhas hipóteses estava correta, o que me deixou de queixo caído.

E o twist foi legal, porque me possibilitou um olhar totalmente novo sobre os personagens.

A trama foi super bem construída e as descrições das paisagens e das obras de arte são primorosas.

Pra quem não curte textos suuuper descritivos, talvez esse quesito torne a leitura um pouco lenta e maçante.

Como estive em Giverny e nos Jardins de Monet, adorei revisitar a região através do livro.

Resumindo:

Dos títulos que li em 2020, Ninféias é um dos meus preferidos :)