Tag

ô lá em casa

Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas

Yon González e Martiño Rivas

Yon González e Martiño Rivas

Fotos: Netflix / Las Chicas del Cable

Olá! Começamos essa semana de perna curta com duas magias que recentemente entraram na minha vida: Francisco (Yon González) e Carlos (Martiño Rivas).

Minha série do feriado foi Las Chicas del Cable – As Telefonistas, uma ótima indicação de muitos de vocês.

Obrigada, pessoal!

Adorei a história e agora meu sonho é ser Lidia Aguilar Dávila e ter essas duas coisas lindas disputando a minha atenção :)

instagram.com/marina2beauty

O feriadão foi ótimo! Me desliguei de tudo e fiz a eremita em casa.

Abri meu maravilhoso kit de Carnaval que continha vinhos, Chandelles, chocolates e salgadinhos e maratonei loucamente Las Chicas del Cable.

Pra quem nunca ouviu falar, a história é sobre a vida de quatro mulheres da década de 20 que trabalham numa empresa de telecomunicação em Madri.

Os figurinos são super bonitos, os batons são lindos e os babados são muitos.

Tem romance, desilusões e até assassinato.

Também tem tópicos importantes como a independência feminina!

Certamente comentarei desse seriado no próximo vídeo sobre o que estou curtindo na Netflix, mas não me espera, viu? Vai lá e assiste agora, porque a história é viciante.

instagram.com/marina2beauty

Só pausei a maratona e botei o pé pra fora de casa pra comemorar o primeiro aninho da Catarina, minha afilhada.

A festa foi na praia e apenas uma nenê linda e alegre assim pra me fazer pegar estrada e engarrafamento.

O aniversário foi muito divertido e deu pra aproveitar a cia de alguns parentes e amigos que não via há muito tempo.

Também deu pra comer bolo, docinhos e uns salgados muito gostosos! Festa de criança é sempre uma alegria na minha vida por conta do cardápio.

Além disso, meu irmão me recebeu com um copão de Aperol, então eu não poderia ter ficado mais contente.

Foi um bom Carnaval :)

Espero que vocês também tenham curtido bastante!

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Joel Kinnaman
05/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)
29/01/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Sterling Brown
22/01/2018
Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Joel Kinnaman

Joel Kinnaman

Foto: Shutterstock.com

Pra você que também é fã de The Killing, te dedico este padroeiro!

#SaudadeHolder

Tudo bom, pessoal? Como foi o final de semana de vocês?

Por aqui, tranquilo! Dediquei boa parte do meu tempo a maratonar a série Altered Carbon que tem o shooshoo do Joel Kinnaman no elenco e chegou ao catálogo da Netflix na sexta-feira.

Por sorte, sexta era feriado municipal. Abapha que eu não sabia desse detalhe e matei o trabalho me sentindo culpada, mas tudo bem!

Encomendei Aperol do Tele-Trago, pedi pizza e passei horas enchendo a barriga enquanto assistia seriados.

Foi MARAVILHOSO e pretendo repetir no Carnaval :)

Pra quem ainda não conhece, Altered Carbon se passa no futuro e começa quando um prisioneiro é libertado por um milionário que o contrata para desvendar seu assassinato.

Parece estranho, mas no futuro as pessoas tem sua consciência armazenada num cartucho e o corpo é apenas uma capa, então se o corpo morre e você tem bastante dinheiro, é possível voltar ao mundo dos vivos.

Não ameeeeei a série, mas gostei! Valeu a maratona, especialmente pelo popô nú do Joel que aparece algumas vezes ao longo da história.

Só sai de casa no sábado, pra almoçar com a família no Jangadeiros.

Domingo trabalhei um pouco, filmei vídeo de primeiras impressões (clica aqui pra assistir) e conferi mais alguns seriados.

Vi Retribution, uma mini série que tem apenas quatro episódios e começa com o assassinato de um casal recém casado.

A história é ótima pra quem curte reviravoltas e segredos de família (tipo eu!).

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas
14/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)
29/01/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Sterling Brown
22/01/2018
Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)

Alexander Skarsgard

Foto: Getty Images

Li uma notinha sobre a Meryl Streep participar da 2a temporada de Big Little Lies, aí já lembrei do Alexander Skarsgård e, na sequência, da família dele que é muito rica em bons genes.

Caso vocês ainda não conheçam os irmãos do Alexander, na foto acima estão Gustaf e Bill Skarsgård.

O Bill interpretou o palhaço na nova edição de IT e faz parte do elenco da série trevosa Hemlock Grove (tem na Netflix!).

Adoro!!!

instagram.com/@marina2beauty

Tudo bom, pessoal? Como foi o final de semana de vocês?

Eu me senti num capítulo do reality Man vs. Food! Conhecem?

O apresentador desse programa viaja pelos EUA e enfrenta desafios que envolvem comer quantidades absurdas de comida.

É tipo meu emprego dos sonhos – hahaha!

No sábado, minha família combinou almoço no Santo Antônio, um restaurante muito tradicional daqui que serve porções enormes.

Fora isso, meus amigos já tinham marcado um jantar no Outback no mesmo dia.

Resultado: almocei um filézão acompanhado de fritas e farofa com ovo e jantei uma porção MUSA de costelinhas com molho Billabong.

instagram.com/@marina2beauty

Fiquei com medo de passar mal e ok, minhas calças descosturaram depois do almoço (tristeza!), mas sobrevivi à comilança.

Apostei no combo Engov + sal de frutas e acordei me sentindo leve no domingo.

Tão leve que resolvi fazer dia de spa completinho!

Usei fita para remover os cravos do nariz, passei máscara de argila no rosto e finalizei com Bepantol e óleo hidratante.

Enquanto me embelezava, aproveitei pra assistir séries e tomar o restinho do vinho branco que tinha na geladeira.

Foi ótimo :)

O melhor de tudo é que comecei a semana com pele limpinha e muito macia.

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas
14/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Joel Kinnaman
05/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Sterling Brown
22/01/2018


Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Sterling Brown

Sterling Brown

Foto: Shutterstock.com

Olá! Bom dia! Boa segunda-feira :)

Há algum tempo não tinha post de vidinha no blog, então cá estou retomando as atividades.

Pra hoje escolhi o lindo Sterling Brown de padroeiro, porque tô apegada a essas covinhas desde que assisti American Crime Story: The People v. OJ Simpson e porque o ator está recebendo todos os prêmios possíveis graças ao seu papel em outra série muito boa, a This Is Us.

#FicaDica:

Se você ainda não viu American Crime Story, se joga, porque tem na Netflix, é maravilhosa e conta um dos casos criminais mais famosos e interessantes de todos os tempos.

Tudo bom, pessoal? Como foi o final de semana de vocês?

Na quinta passada, conheci um lugar novo aqui em Porto Alegre e adorei!

Sofia é um bar com karaokê que serve ótimos drinks e tem decor com vários neons de letras de músicas icônicas pra fazer altas fotos maravilhosas, vide imagem acima.

Caso estejam curiosos, não cantei Evidências.

Escolheram essa música antes de mim, então fui de Fogo e Paixão do Wando, outro clássico da música brega.

Adoro!

Sábado almocei com a família e revi minhas tias que não via há algum tempo.

O dia estava bonito, então fomos ao Jangadeiros que, como já falei por aqui, é um dos meus lugares preferidos da vida.

Tomei muito Aperol, botei o papo em dia e depois voltei pra casa para hibernar até hoje de manhã.

Só saí do quarto pra buscar comida, porque estava muito focada nas maratonas da quarta temporada de Grace & Frankie e da primeira temporada de Doctor Foster.

Grace & Frankie eu conheço e amo há anos, mas Doctor Foster era novidade pra mim e foi uma surpresa super agradável!

A série é sobre uma médica que começa a suspeitar que está sendo traída pelo marido e vai atrás da confirmação.

Pode não parecer grandes coisas, mas a história é realmente boa e me prendeu do início ao fim.

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas
14/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Joel Kinnaman
05/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)
29/01/2018
Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Tricolor dos Pampas

Tricolor dos Pampas

Fotos: @lucasuebel e @gremio

Uma das minhas músicas preferidas da torcida tricolor diz “Mesmo não sendo campeão, o sentimento não se termina.” e isso não poderia ser mais verdadeiro, especialmente nessa semana :)

Tudo bom, gente? Como vocês estão?

O blog esteve fora do ar por boa parte do domingo e da segunda-feira, porque rolou uma tentativa (falhada) de troca do servidor.

Dedos cruzados para que da próxima vez eu tenha mais sucesso… * risos nervosos *

A maratona de jantares, happy hours e festinhas de final de ano já começou por aqui.

Sexta-feira foi dia de encontrar alguns amigos para nossa sessão anual de sushi.

Não sou muito fã de peixe, mas esse encontro em dezembro já virou tradição, porque é quando minha amiga Julia volta ao Brasil para comemorar seu aniversário e o Natal em família.

De acordo com ela, o sushi de Berlim não é tão gostoso quanto o daqui, então a gente sempre marca um jantar pra ela matar a vontade.

Sábado foi dia de torcer pelo Grêmio na final do mundial e, apesar de não levarmos a taça, fiquei orgulhosa.

O tricolor dos pampas não fez feio diante do Real Madrid!

Minha mãe preparou um almoço muito gostoso pré jogo e eu assisti a partida com a barriga cheia de macarrão à bolonhesa e 10kg de pão com manteiga.

Adoro!

Durante a noite rolou a comemoração adiantada do aniversário da Julia com muitos reencontros divertidos e cachorro quente feito em casa, igual ao das festinhas de criança da “minha época”.

Sabe cachorrinho feito com salsicha picadinha e muito molho? Então…

Domingo foi dedicado a dormir/hibernar, digerir toda a comida, curar uma leve ressaca e ficar em dia com os episódios acumulados no meu app de podcasts.

Parece sem graça, mas eu acho maravilhoso!

Boa semana, pessoal :)

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas
14/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Joel Kinnaman
05/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)
29/01/2018
Blake Shelton
Vidinha e Novidades

Ô, lá em casa… Blake Shelton

Blake Shelton

Fotos: @blakeshelton

Já que o Blake foi eleito o homem mais sexy de 2017 pela revista People, por que não fazer uma pequena homenagem, não é mesmo?

Curti, mas ainda acho que #mozão João das Neves merecia mais esse título :)

Tudo bom, gente? Como vocês estão?

Aqui em casa está tudo tranquilo! Ansiosa pelas próximas festinhas de final de ano e o tanto de chocotone que vou comer, já que semana que vem terá vídeo investigativo sobre os melhores e os piores do supermercado.

Se quiserem deixar dicas de chocotones que não podem faltar na comparação, agradeço!

Também estou muito ansiosa pelo mundial de clubes. O primeiro jogo é amanhã e espero do fundo do coração que o Grêmio jogue bem!

Nesse finde fiquei bastante em casa e maratonei a segunda temporada de The Crown.

AMEI!

Essa temporada é super focada no relacionamento da Elizabeth e do Philip e passei muita raiva com esse embuste que é o príncipe, mas não consegui parar de assistir.

Domingo foi dia de terminar o livro O Conto da Aia e, mesmo sendo uma leitura pesada pelo tanto de sofrimento contido nas páginas, recomendo muitíssimo.

A história tem momentos super desconfortáveis e te motiva a refletir, já que esta ficção infelizmente tem muitos traços de realidade, muita coisa que a gente vê no cotidiano de várias mulheres.

Aqui está a sinopse:

A história de “O Conto da Aia” passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado.

As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos.

Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América.

As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado – há as Esposas, as Marthas, as Salvadoras etc. À pobre Offred coube a categoria de Aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar.

O livro começa meio devagar, o que fez com que eu levasse bastante tempo para engrenar na leitura, mas da metade pro final ficou demóóóóis de bom e acabei lendo as últimas 150 páginas numa tarde, sem pausa.

Certamente falarei mais dele no próximo vídeo de favoritos aleatórios!

Posts Relacionados
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Yon González e Martiño Rivas
14/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Joel Kinnaman
05/02/2018
Vidinha e Novidades
Ô, lá em casa… Alexander Skarsgård (e família)
29/01/2018



Fechar