#Desafio1LivroPorMês: Bodas de Sangue

#Desafio1LivroPorMês: Bodas de Sangue

#Desafio1LivroPorMês: Bodas de Sangue

Seguindo o #Desafio1LivroPorMês, aqui está meu livro 5/12 do desafio:

“Bodas de Sangue”, de Pierre Lemaitre.

Recebi via assessoria e achei o nome meio brega, tipo título de filme de horror ruim, sabe? Mas a história é ótima!

Me prendeu e me surpreendeu.

Li em uma noite!

Bodas de Sangue é sobre Sophie, uma mulher solitária que cuida de um menino de seis anos, o pequeno Leo.

Sabemos que antes de ser babá, Sophie ficou viúva e estava certa de que também ficara louca.

A loucura começou devagar, com a perda de pequenos objetos e a confusão de datas, mas os lapsos eram cada vez maiores até que a vida dela virou de ponta cabeça.

Sophie perdeu tudo que amava e agora, ao acordar de mais um lapso, encontrou o menino morto.

Não tinha lembrança do que havia ocorrido durante a noite e com seu histórico, certamente poderia ser culpada. Afinal, não gostava de Leo.

Ela foge, muda de nome e não permanece por muito tempo no mesmo lugar, mas o rastro de sangue continua lhe perseguindo onde quer que vá…

#Desafio1LivroPorMês: Bodas de Sangue

O início do livro é confuso e meio frenético, tal qual é a mente de Sophie.

A gente lê e sente o desespero dela.

Também rola uma certa raiva nesse início, pois Sophie não é uma personagem que inspira simpatia ou compaixão.

Resumindo:

Não vou me estender sobre a história, porque o ideal é ler sem saber o que esperar.

O que posso adiantar é que “Bodas de Sangue” tem quatro atos e no segundo, meu queixo bateu no chão.

Foi a primeira das muitas surpresas que estavam por vir.

Junto com “A Última Festa” (post aqui), é das leituras do desafio que mais curti.


Pra saber mais sobre minhas leituras e sobre o #ClubeDoLivroDoMarinão, clica aqui.