Não é make, mas é demais: Minissérie Chernobyl

Não é make, mas é demais: Minissérie Chernobyl

Game of Thrones acabou e eu ainda não superei o final da série, mas já estou em busca do que assistir na HBO Go para aproveitar as últimas semanas da minha conta.

Tem tanta coisa legal no catálogo! Mas a coisa mais legal de todas – depois de Game of Thrones, claro! – é a minissérie Chernobyl,que conta uma história trágica e muito real.

Quem já passou dos 30 anos de idade talvez lembre desse desastre que aconteceu nos anos 80, em Pripyat, na Ucrânia.

Foi o pior acidente nuclear da história e as consequências da exposição à radiação ainda são sentidas nos dias de hoje.

Dezenas de pessoas sucumbiram durante o acidente e milhares morreram ou ainda sofrem de doenças relacionadas à explosão na Usina Nuclear Chernobyl.

A produção da HBO revê esses acontecimentos ao longo de cinco capítulos.

Dois deles já foram ao ar aqui no Brasil e eu mal posso esperar para assistir o resto, mesmo sabendo como a história acaba.

A minissérie começa dois anos depois da explosão e logo em seguida volta à noite do acidente.

Ela mostra o drama humano daqueles que foram afetados e também a coragem daqueles que se sacrificaram para impedir que a tragédia fosse ainda maior.

A caracterização da década de 80 na antiga União Soviética tá incrível e o elenco é cheio de atores super talentosos.

Tô apegadíssima e recomendo com AMOR no coração!

PS: Sou apaixonada por podcasts e achei o máximo que existe um podcasts que acompanha a minissérie!

Ele é apresentado por duas pessoas e uma delas é ninguém menos do que o criador, produtor e roteirista de Chernobyl, Craig Mazin.

Acho que esse é um jeito muito legal de complementar as informações apresentadas na série e de explicar algumas decisões e alterações que foram feitas para que a história coubesse em cinco horas de um programa de televisão.

Se você entende inglês, vale a pena escutar!

Chama “The Chernobyl Podcast” e está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.