Dei uma relaxada em outubro e novembro e acabei lendo apenas o título do Clube do Livro nesse período.

Para compensar, aproveitei a folga durante as festas de final de ano e li três títulos, todos de suspense.

O primeiro deles foi O Jardim das Borboletas:

Minhas leituras do final do ano

O Jardim das Borboletas

Nessa história a gente acompanha o depoimento de Maya, uma sobrevivente do “Jardim”.

Enquanto os agentes Hanoverian e Eddison interrogam a garota, descobrimos aos poucos todo o horror pelo qual ela e outras meninas passaram nas mãos do “Jardineiro”, um psicopata cheio do dinheiro  que raptava jovens mulheres para  rechear seu jardim com “borboletas”.

No Jardim, as meninas tinham as costas tatuadas com grandes asas e a partir daí recebiam um novo nome e começavam uma rotina cheia de medo.

Através das palavras de Maya, toda a violência física e psicológica sofrida pelas borboletas é revelada aos poucos e, apesar dela ser uma sobrevivente, a gente fica com o pé atrás, pois a garota é muito enigmática e dá a impressão de estar escondendo algo.

O quê ou quem ela está tentando proteger?

Apesar de ter gostado da leitura, preciso avisar que o livro é BEM pesado e me deixou mal em vários momentos, especialmente pela descrição detalhada dos abusos.

PS: Eu não sabia, mas O Jardim das Borboletas faz parte de uma trilogia!

O segundo e o terceiro livro ainda não chegaram por aqui e mesmo com o enjoo que o primeiro título me causou, certamente lerei os outros dois.

Minhas leituras do final do ano

O Fio do Bisturi

Em O Fio do Bisturi, a gente conhece Kate Chesne, uma anestesista experiente que estava participando de uma cirurgia que parecia simples.

A paciente era Ellen O’Brien, enfermeira e colega de trabalho de Kate.

A enfermeira é anestesiada e então algo dá muito errado no procedimento, o que resulta na morte de Ellen.

Kate é acusada de ser responsável pelo ocorrido e a família da falecida contrata Daniel Ransom, um famoso advogado, para processar a anestesista por erro médico.

Kate fica inconformada, pois tem certeza de que não fez nada de errado!

A história fica ainda mais interessante quando um médico e uma enfermeira que já trabalharam com Ellen são assassinados.

Será que caso de Ellen está ligado a essas mortes? Seria isso a obra de um serial killer?

Para limpar seu nome e solucionar esse mistério, Kate acaba se unindo ao “inimigo”, o advogado Daniel, numa busca frenética por respostas.

Foi uma leitura divertida e muito rápida, pois o livro tem uma boa combinação de ação, suspense e reviravoltas.

E também tem um romance bem previsível no meio disso tudo, viu?

Minhas leituras do final do ano

O Homem de Giz

Meu preferido dos três!

O Homem de Giz me deixou com uma pontinha de nostalgia, porque lembra obras como Goonies, Conta Comigo e Stranger Things, já que a história gira em torno de um grupo de amigos que está passando da infância para a vida adulta e tem os anos 80 como pano de fundo.

A narrativa intercala a vida de Eddie Adams em 2016 e suas lembranças de 1986, quando tinha 12 anos e se viu envolvido em acontecimentos bizarros e sombrios.

Na época, o grupo de amigos de Eddie desenhava bonecos de giz em calçadas e no asfalto como um código secreto de comunicação.

Esses bonecos começaram a aparecer em cenas de crime e trinta anos depois, os traumas de 1986 retornam para assombrar a vida do nosso protagonista.

O que realmente aconteceu naquele ano?

Apesar do hype em cima desse título, comecei a ler sem grandes expectativas e logo me apeguei.

A história me deixou curiosíssima e eu não consegui largar o livro até chegar ao final!

Recomendo com força :)