Categoria

Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Workshop “Conheça suas cores”

Workshop conheça suas cores

Conheço a Ana do Hoje Vou Assim OFF há bastante tempo e admiro muito o trabalho dela!

Sempre que a Ana vem a Porto Alegre para palestrar, a gente se encontra para colocar a conversa em dia :)

Ainda não tinha participado de um dos workshops dela, então quando as vagas pro “Conheça suas cores” foram abertas, me inscrevi!

Esse conteúdo é direcionado para quem é como eu: meio perdida na hora de se vestir ou fazer compras.

O que acontece muito comigo é acabar usando sempre preto, azul marinho e cinza, porque são tons fáceis de combinar.

E eu adoro preto, mas sempre tive vontade de me aventurar em produções mais coloridas e alegres.

Workshop conheça suas cores

Workshop conheça suas cores

Sou inverno escuro, gente!

Durante o workshop da Ana, passei por uma análise cromática para descobrir a cartela de cores que mais favorece minhas características naturais e aprendi como explorar as possibilidades dessa cartela para fazer combinações mais interessantes.

A análise foi tão legal, porque nunca parei para avaliar com atenção como a minha pele responde aos vários tons de vermelho, verde, azul, roxo, etc.

É impressionante como algumas cores tem o poder de realçar minhas olheiras e outras, de atenuá-las.

Não tenho uma peça sequer em qualquer tom de roxo e roxo é uma cor que super me favorece, por exemplo!

Azul marinho e vinho são outras tonalidades que realçam meus olhos, o tom da minha pele e do meu cabelo.

Workshop conheça suas cores

Workshop conheça suas cores

E essa análise serve não só para roupa, mas para maquiagem também, viu?

Sabe como tem certas cores de batom que ficam maravilhosas em algumas pessoas e muito esquisitas em outras? Então!

Meu objetivo da semana é dar uma olhada no meu guarda-roupa e penteadeira para encontrar tudo que está dentro da minha cartela e montar novas combinações que não envolvam apenas preto ou azul marinho, porque todos os tons da cartela combinam entre si.

Se eu quiser fazer uma mistura mais colorida, já posso ficar tranquila, porque tenho no que me basear.

ADOREI!

Para saber mais sobre o conteúdo dos workshops, datas, inscrições, etc., basta visitar o site Hoje Vou Assim OFF ou acompanhar a Ana no Instagram (@hojevouassimoff).

E já que falei do Instagram da Ana, vale a pena dar uma olhadinha nele independente do interesse no workshop, porque ela combina cores e estampas de um jeito tão lindo! É uma super inspiração :)

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Lo Que La Verdad Esconde
20/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Vinho Rosé
29/05/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Amazon Fire TV Stick
09/04/2018
Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Lo Que La Verdad Esconde

Lo Que La Verdad Esconde

Como acabei de fazer vídeo sobre séries e documentários da Netflix (link aqui) e o próximo só será filmado em julho, achei que seria bom não esperar até lá e escrever um post sobre uma série documental espanhola que devorei ontem à noite, porque achei muito interessante.

Se você curtiu Making a Murderer e The Staircase, vai gostar dela também!

Chama “Lo Que La Verdad Esconde” e relembra o caso do assassinato da menina Asunta Basterra.

Asunta tinha apenas 12 anos quando foi encontrada sem vida na beira da estrada em 2013.

Lo Que La Verdad Esconde

Ela nasceu na China e foi adotada por um casal espanhol quando tinha apenas um aninho de idade.

Os pais adotivos, Rosario e Alfonso, foram detidos e acusados do assassinato por conta de indícios de que a menina estava sendo dopada meses antes de seu sumiço e sua morte.

O caso Asunta recebeu MUITA atenção da mídia espanhola e a série documental revê os acontecimentos, apresentando material não divulgado na época do julgamento.

Lo Que La Verdad Esconde

A  série usa depoimentos para reconstruir a trajetória da família e tem um episódio muito interessante sobre júri popular e os passos a serem tomados para a declaração do veredito.

São quatro capítulos de uma hora e meia cada e ao final de tudo, assim como aconteceu ao assistir Making a Murderer e The Staircase, fiquei indecisa sobre a culpa sem sombra de dúvidas dos acusados, mas tive certeza que rolou lambança ao longo do julgamento.

Mais alguém já assistiu? O que achou?

PS: Aqui tem uma listinha com outros posts sobre séries! Tem bastante coisa, porque antes de começar a fazer os vídeos de Netflix, eu escrevi bastante sobre seriados.

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Workshop “Conheça suas cores”
25/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Vinho Rosé
29/05/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Amazon Fire TV Stick
09/04/2018
Vinho Rosé
Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Vinho Rosé

Vinho Rosé

Vocês sabem que eu adoro Sauvignon Blanc, que eu amo Vinho Verde…

Mas ultimamente tenho experimentado tantos Rosés leves, frescos e deliciosos que resolvi montar uma listinha com quatro rótulos ótimos.

O mais barato me custou menos de R$20,00 reais na promoção do supermercado e o mais caro sai por R$40-R$50,00 reais em lojas de vinhos.

Para ver uma listinha meio antiga dos meus preferidos, clica aqui.

1. Casillero Del Diablo Rosé

Vinho chileno cultivado no Vale Central

DESCRIÇÃO: Linda cor de morango púrpura brilhante com aroma exuberante de frutas vermelhas. Suas notas frutais tornam o beber mais fácil devido à destacada presença de framboesa e morangos. Um vinho fresco mais próximo dos tintos.
Média de preço R$40-50

2. Casal Mendes Rosé

Vinho português cultivado na região dos Vinhos Verdes

DESCRIÇÃO: Com tom rosa pálido, apresenta aroma intenso e frutado com nuances de abacaxi e banana. O paladar é fresco devido à boa acidez.
Média de preço R$30,00

3. Concha y Toro Reservado Rosé

Vinho chileno cultivado no Vale Central

DESCRIÇÃO: Cor rosa com reflexos violáceos e azulados e de caráter frutado que realça o morango, a lichia e a toranja. Amigável, fresco e equilibrado, com um final ligeiramente doce.
Média de preço R$25-30

4. Hereford Rosé

Vinho argentino cultivado na região de Mendoza

DESCRIÇÃO: Belo tom rosa claro brilhante com aroma fresco e frutado. Sabor suave e fresco com notas de frutas vermelhas e um toque de especiarias. Seu final é longo, saboroso e bem equilibrado.
Média de preço R$20-30

NOTA: A identidade visual dos vinhos Hereford foi atualizada recentemente, então você pode encontrar garrafas tanto com o rótulo antigo igual ao do post quanto com o rótulo novo que é mais clean e moderno (exemplo aqui).

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Workshop “Conheça suas cores”
25/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Lo Que La Verdad Esconde
20/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Amazon Fire TV Stick
09/04/2018
Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Podcast Imagina Juntas

Podcast Imagina Juntas

O podcast Um Milkshake Chamado Wanda continua me trazendo felicidade!

A mais recente foi a descoberta do Imagina Juntas, outro podcast super divertido que é apresentado por Jessica Grecco, Gus Lanzetta e Tchulim.

Como a Tchulim teve várias participações no Wanda, foi assim que acabei escutando e me apegando ao podcast dela também.

Toda quarta-feira tem episódio novo com discussões sobre trabalho, dinheiro (ou a falta dele), assuntos #GirlPower, relacionamentos e perrengues da vida.

Abaixo está um episódio bem divertido sobre mudança:

Podcast Imagina Juntas

Como faz pra escutar?

Para seguir o Imagina Juntas, basta procurá-lo pelo nome no seu app de podcasts ou no Spotify.

Pra quem não tem app, é só dar uma conferida na página oficial do programa.

Não sabe o que é podcast?

Abaixo tem um vídeo e aqui tem um post bem explicadinho com lista dos meus podcasts preferidos (que eu até preciso atualizar, porque ultimamente tenho escutado muita coisa nova).

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Google Chromecast
23/04/2018
Ap & decoração, Não é make, mas é demais
Calendário fofo de prancheta
14/03/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Documentário Show ‘Em What You’re Made Of
05/02/2015
Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Google Chromecast

Chromecast

Depois de postar sobre Apple TV e Amazon Fire TV Stick, chegou a vez de falar sobre o Chromecast do Google.

Assim como os outros dois, esse aparelho permite que você assista conteúdos da internet (Netflix, YouTube, etc.) em televisões que não tem a tecnologia Smart TV.

A instalação é simples: basta conectar o Chromecast à entrada HDMI da TV, alterar a entrada/fonte da TV pra porta HDMI em que o aparelho foi conectado, baixar o app Google Home ou acessar no celular o endereço “chromecast.com/setup” e seguir as instruções.

Chromecast

Com isso feito, você vai notar que nos apps de entretenimento do seu celular aparecerá o botão de transmitir.

Utilizando esse botão, você pode “jogar” o conteúdo para a televisão.

Quer assistir um vídeo do YouTube na tela da TV? Selecione o vídeo no app do YouTube do celular, aperte o botão e pronto!

Funciona do mesmo modo com séries e filmes da Netflix e com mais uma porção de outros apps, tipo Spotify e HBO Go, porque o Chromecast faz streaming do seu celular para a TV.

O aparelho não vem com controle remoto, então tudo é feito pelo celular.

Se preferir, também dá pra controlar pelo notebook (através de uma extensão do navegador Chrome) ou pelo tablet.

E enquanto a transmissão tá rolando, você pode usar o celular para outras coisas, viu?

Não tem problema!

Chromecast

Tela YouTube (botão para transmitir do celular pra TV)

Algumas pessoas me disseram que dá pra usar o próprio controle remoto da TV se ele tiver comando de play e pause, assim você não precisa ficar com o celular por perto enquanto está assistindo televisão com o Chromecast.

Com o controle da minha TV, não deu certo!

Outro problema é que por uma rixa entre Google e Amazon, o app da Amazon não funciona com o Chromecast, então eu não consigo jogar o conteúdo do Amazon Prime Video pra minha TV.

Existe um jeito de contornar essa situação com celular Android (dica aqui), mas o meu é um iPhone, então fiquei a ver navios…

E já que estamos nesse tópico, aparelhos Android são melhor otimizados para o Chromecast do que os aparelhos iOS.

O motivo é bem simples: Android é desenvolvido pelo Google (assim como o Chromecast) e iOS, pela Apple.

Chromecast

Controle da Netflix pelo app do celular

Resumindo

Ainda gosto mais do Fire TV Stick da Amazon (que meu pai está usando e amando!) e da Apple TV, porque ambos tem controle remoto próprio e acessam o Amazon Prime Video sem problemas, mas o Chromecast não foi uma má compra.

Agora posso assistir Netflix na televisão da sala e, quem sabe, cancelar meu plano de TV da NET :)

Quanto custa?

O preço do Chromecast varia de R$279,00 a R$289,00 reais em lojas e sites como o da Fast Shop e das Americanas.

O meu foi comprado na Fast Shop.

Vale lembrar…

Quem já tem Smart TV ou um videogame tipo xBox, Wii ou Play Station NÃO PRECISA de Amazon Fire TV Stick, Apple TV ou Google Chromecast para assistir Netflix.

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Podcast Imagina Juntas
16/05/2018
Ap & decoração, Não é make, mas é demais
Calendário fofo de prancheta
14/03/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Documentário Show ‘Em What You’re Made Of
05/02/2015
Não é make, mas é demais

Não é make, mas é demais: Amazon Fire TV Stick

Amazon Fire TV Stick

Todo mundo sabe que eu adoro Netflix e quem me segue no Instagram (@marina2beauty) acompanhou minha tentativa de apresentar o serviço ao meu pai.

Comprei o Google Chromecast para que ele pudesse reproduzir conteúdos de vídeo e áudio da internet na TV dele, já que ela não é do tipo Smart TV.

Confesso que o que eu queria mesmo era adquirir um aparelho Apple TV igual ao que uso na televisão do meu quarto (post antiguinho aqui), mas estava muito caro e aí não rolou de dar esse presente pra ele.

Voltando ao assunto…

Desde que o Chromecast foi instalado, meu pai viu apenas um filme na Netflix e o motivo é bem simples: a falta de um controle remoto.

O Chromecast é comandado pelo celular e, mesmo depois de inúmeras explicações, o meu pai não está super por dentro de #ComoFaz pra mexer no aparelho, porque ele só sabe usar o telefone para ligações e WhatsApp.

Amazon Fire TV Stick

A solução pro problema chegou hoje:

Um amigo meu tinha um Amazon Fire TV Stick que não estava sendo usado, então comprei dele.

O aparelho é similar aos outros, porém com a vantagem de custar um terço da Apple TV e vir com um controle remoto que não existe no caso do Chromecast.

Instalei na televisão da sala para testar e foi super fácil!

Liguei na tomada, conectei o aparelho à entrada HDMI, adicionei informações do Wi-Fi e pronto :)

Amazon Fire TV Stick

Como vocês podem ver pela foto acima, ele está funcionando direitinho.

Além do app da Netflix, dá pra acessar o app da Amazon Prime Video e o YouTube.

Não roda HBO Go e Globo Play, infelizmente.

Agora minha ideia é fazer uma troca: meu pai fica com o Fire TV Stick da Amazon que é mais simples e fácil de manejar e eu fico com o Chromecast, porque me dou muito melhor com o celular :)

UPDATE: O Fire TV Stick foi um sucesso! Meu pai fez sua primeira maratona e agora está ansioso para conhecer mais séries como Perdidos no Espaço e La Casa de Papel.

E o preço?

Comprei o aparelho usado por um preço mais em conta, mas um novo custa R$289,00 reais e pode ser adquirido diretamente no site da Amazon Brasil.

Vale lembrar…

Quem já tem Smart TV ou um videogame tipo xBox, Wii ou Play Station NÃO PRECISA de Amazon Fire TV Stick, Apple TV ou Google Chromecast para assistir Netflix.

Posts Relacionados
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Workshop “Conheça suas cores”
25/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Lo Que La Verdad Esconde
20/06/2018
Não é make, mas é demais
Não é make, mas é demais: Vinho Rosé
29/05/2018

Fechar