Ô, lá em casa… Marcelo Grohe

Ô, lá em casa… Marcelo Grohe
marcelo
Foto: Divulgação / Umbro

Adoro o Marcelo Grohe (ADORO!), mas tô passada que o Douglas ficou em segundo, especialmente depois de ler tantos comentários sobre a barba, o cabelo grisalho, o borogodó e tudo mais…

Como asseeem?

Tudo certinho, pessoal? Por aqui tudo bem! Depois de celebrar loucamente a Copa do Brasil, fiquei meio dodói na sexta.

E não foi ressaca! hahaha

Tudo bem que na noite anterior teve jantar dos primos e eu levei uma linda garrafa de litro do Casal Garcia comigo, mas eu dividi a birita, ok? Não tomei tudo sozinha.

Aliás, fica a dica:

No Zaffari da Otto tem Casal Garcia de litro por R$39,00 realidades. Espero comprar mais algumas garrafas antes que a promoção acabe!

1

Ainda no momento sommelier / dicas alcoólicas, minha mãe encontrou um vinho branco chileno ótimo que custa menos de R$30,00 reais: Aguirre 18 Chardonnay.

Ele é mais frutado e é uma delícia de tomar bem geladinho num dia quente de verão. De resto, o final de semana foi para hibernar.

Só saí de casa pra almoçar com meus pais, porque o resto do tempo foi dedicado à Netflix.

Vi um documentário muito bom sobre o caso Amanda Knox, aquela americana que ficou presa por anos acusada de assassinar a colega de casa durante seu intercâmbio na Itália.

Também comecei uma nova série documental chamada Captive. Cada episódio mostra um caso de sequestro e uma das histórias da série é brasileira.

Achei muito interessante, porque Captive expõe a visão de vítimas, da polícia e até dos sequestradores. No caso brasileiro, o cérebro da operação conta tim tim por tim tim como foi o planejamento do sequestro.

Acho que está na hora de eu fazer mais um Netflix com o Marinão, não é?