L’Oreal True Match Roller

L’Oreal True Match Roller

Essa base foi presente da Vivi (obrigadaaa!) e eu fiquei muito (MUITO!) animada em experimentar, porque o aplicador que acompanha o produto é uma versão miniatura de rolo de pintar parede.

Infelizmente, ela não é vendida por aqui. Se alguém souber de site internacional que tenha e entregue no Brasil, plis!, avise nos comentários. 

Rolando…

A embalagem da True Match Roller é bem bonitinha e fácil de carregar na bolsa. De uma lado você tem a base cremosa e do outro, o aplicador de rolo.

O rolinho não é muito grande, mas é fácil de manusear. O único problema que eu notei é que você não consegue que a esponja fique coberta por igual logo de primeira.

A base tende a “pegar” mais nas extremidades e não tanto no centro, então você tem que passar o rolo algumas vezes até que ele fique coberto por inteiro.

Aplicação

A aplicação em si é bem simples e rápida. Você esfrega o rolo pelo rosto e voilá! Quase pronta!

Eu digo quase, porque ficam algumas marcas do rolo e porque não dá pra maquiar o nariz e o cantinho do olho com perfeição, já que o aplicador não “encaixa” direito nessas áreas.

Depois de passar o rolinho, eu também uso o dedo para apagar as linhas e para espalhar a base na lateral do nariz e no olho.

Preciso dizer que mesmo gostando da rapidez do rolo, eu acho esponjas pouco sanitárias higiênicas, ok?

Vale lembrar que essa base também pode ser aplicada com um pincel ou com os dedos.

 

Antes e depois (com um pouco de bronzer e blush, porque ninguém merece cara branca)

A cobertura da True Match Roller é mais pesada do que imaginei. A base cobre olheiras, manchas e o que mais você quiser, mas a pele não fica com um aspecto natural.

Acho que para festas e programas noturnos é supimpa, mas pra todo dia é um pouco demais (pro meu gosto).

O acabamento é bem sequinho logo que você aplica e quem tem pele seca não precisa passar um pó por cima. No meu caso (pele mixxxxta), um tiquinho de pó nas áreas problemáticas é bem vindo, porque com o passar das horas, a pele fica lustrosa se eu estiver usando apenas a base.

Pobrema

Na primeira hora maquiada, a minha bochecha fica meio esquisita, lembrando de leve a casca de uma laranja. É como se a base tivesse ressecado essa área do meu rosto. Não sei se consigo explicar direito com palavras, então olhem a foto acima.

Meio esquisito, né? Com o passar do tempo e com a oleosidade natural da minha cutis, as bochechas voltaram ao normal.

O tom (C4) parece ideal na embalagem, mas fica toda uma coisa “fantasminha” no meu rosto. Com o flash da câmera, a situação só piora.

Pra foto de “depois”, usei a base e passei um blush e um bronzeador amygho pra ajudar com a cor.

Fora isso, a fixação é bacana, mas como está fazendo friiiiio aqui em Porto Alegre, não pude testá-la de modo adequado.

No geral, eu não diria que não gostei da True Match Roller, mas também não vou sair recomendando. Eu achei super legal pela novidade do tal do rolo aplicador, mas a base em si não é um espetáculo, entende?

Achei meio pesadona e okay, é legal pra usar numa festa e o acabamento fica bonito em fotos, mas pra todo dia é meio over (minha humilde opinião). Também não gostei da minha bochecha parecer casca de laranja.